1 de mar de 2009

Por Heloíza Goodrich



Quando pensamos em uma pessoa com autismo às vezes nos esquecemos que é uma pessoa e vemos simplesmente um diagnóstico. No entanto, como todos nós, as pessoas com autismo têm características pessoais que as tornam únicas. Esta cartilha visa ajudar a reconhecer algumas dessas peculiaridades em termos sensoriais e, a partir desse conhecimento, desenvolver estratégias que ajudem a tornar o dia a dia mais fácil para a criança com autismo e para as famílias e demais pessoas que convivem com ela.
Se considerarmos que a dificuldade na comunicação é um dos grandes problemas da pessoa com autismo concluiremos que o simples reconhecimento de dificuldades sensoriais, o respeito a elas e o desenvolvimento de estratégias para conviver com elas podem fazer uma diferença enorme no bem estar da criança, fazendo com que se irrite menos com dificuldades sensoriais que fogem ao seu controle e tenha mais recursos para aproveitar as oportunidades de aprendizagem que são oferecidas.
O brincar, que é o maior instrumento de aprendizagem da criança, sofre muita interferência da dificuldade na integração sensorial, seja pela dificuldade em interagir com materiais de texturas diferentes, por sons incômodos ou pela dificuldade no planejamento motor. A melhoria da integração sensorial geralmente ajuda a criança com autismo a se beneficiar mais da aprendizagem através desse instrumento.
A Associação Americana de Terapia Ocupacional (AOTA) tem como lema: Terapia ocupacional: habilidades para viver a vida da forma mais plena possível.
Espero que esta cartilha seja um instrumento facilitador deste lema. Ariela aliou seu conhecimento teórico de integração sensorial com a experiência do trabalho no Centro Pró Autista para tentar trazer para os pais uma informação atualizada e pertinente.

Por que a Terapia Ocupacional é importante para o Autismo ?

Estima-se que 60 a 70% das crianças com TEA (Transtorno do Espectro Autista) apresente um distúrbio sensorial (Adamson, 2006). Estudos têm ...