8 de mar de 2009

Defensividade Sensorial



Todos nós temos a habilidade de sentir um perigo em potencial. Nossos sentidos nos
dizem se um inseto está andando em nossas costas, quando vamos cair, ou quando há fumaça no ar. Somos capazes de responder a esses acontecimentos com uma defesa apropriada ao estímulo. Algumas pessoas têm a tendência a reagir a algumas sensações inofensivas como se fossem perigosas ou dolorosas. Isso é chamado de defensividade sensorial.


Defensividade sensorial é simplesmente a super ativação de nossos sentidos protetores. É uma má percepção que faz com que nossas roupas pareçam aranhas em nossa pele e escadas pareçam rochedos. Indivíduos com defensividade sensorial podem ser descritos como às vezes procurando, às vezes evitando, algumas vezes hiperativos , emotivos, instáveis emocionalmente e/ou procurando sensorialmente. Cada indivíduo tem seu próprio estilo de resposta. Pode haver defensividade para um tipo de sensação (ex. sensibilidade ao toque é defensividade tátil) ou a muitos tipos de sensações.
Quando defensividade sensorial domina o comportamento de um indivíduo, outros sintomas sociais/emocionais podem aparecer. Esses efeitos secundários tornam-se um outro problema que é separado mas relacionado. Hábitos e medos aprendidos podem persistir se não tratados separadamente.

Defensividade Sensorial A tendência a reagir negativamente ou com alarme a entrada sensorial que geralmente é
considerada inofensiva ou não irritante é típica de defensividade sensorial. Sintomas comuns podem incluir hipersensividade a luz ou toque inesperado, movimento súbito ou hiperreação a superfícies instáveis, sons de alta frequência, excessos de barulho ou estímulos visuais e certos cheiros.

Comportamentos Emocionais e Sociais Relacionados
Defensividade sensorial resulta em gráus variáveis de estresse e ansiedade, embora sin-tomas possam variar de indivíduo para indivíduo. A criança com defensividade sensorial pode perceber erroneamente o mundo como perigoso, alarmante ou, no mínimo, irritante. Padrões e hábitos aprendidos freequentemente são desenvolvidos evitando perturbar eventos sensoriais ou procurando sensações que possam restaurar o conforto. Memórias inocentes podem ser armazenadas como experiências traumáticas. Relacionamentos podem ser exagerados. Comportamento com pessoas conhecidas e de confiança podem ser bem diferentes do com os outros. Esses comportamentos fazem sentido se vistos como a criança fazendo o melhor que pode para “sobreviver”.

Tipos de Defensividade Sensorial
Cada pessoa com defensividade sensorial desenvolve seu próprio conjunto de compor-tamentos.
Embora não seja possível enumerar todos os sintomas de defensividade sensorial, a lista que se segue é de sintomas comuns que podem ser atribuidos a cada sistema sensorial. Cada indivíduo pode ter apenas alguns destes sintomas ou padrões semelhantes de comportamento. É importante que o diagnóstico seja feito por uma terapeuta especializada através de uma entrevista cuidadosa de história sensorial.

Defensividade Tátil
Pessoas com defensividade tátil preferem tocar que ser tocados. Frequentemente fazem manha ou resistem para lavar o cabelo. Podem agir como se sua vida estivesse sendo ameaçada quando são banhados ou trocam suas roupas. Essas crianças frequentemente se irritam com alguns tipos de roupas, etiquetas ou roupas novas. Pdem não gostaar de ficar próximos a outros e evitar multidões. Frequentemente não gostam de que suas mãos ou pés fiquem sujos. Podem parecer desnecessariamente grosseiros. Alguns oiden dar encontrões ou cair sobre coisas de propósito, como se procurando sensação ou parecem responder menos a certas sensações de dor.

Defensividade Oral
Algumas crianças não gostam ou evitam certas texturas ou tipos de comida. Podem ser hiper ou hipo sensíveis a comidas condimentadas ou quentes; evitam por objetos na boca; e/ou tem horror de escovar os dentes ou lavar o rosto. Alguns têm uma variedade de problemas de alimentação desde a infância.

Insegurança Gravitacional
Parece ser um medo irracional de mudança de posição ou movimento. Essas crianças geralmente têm medo quando seus pés deixam o chão, ou a cabeça é virada para baixo.

Defensividade Visual
Isto pode envolver uma hiper sensibilidade à luz e distraibilidade visual. Crianças com este problema podem evitar brincar fora , dependendo da luz e/ou precisar de óculos escuros para bloquear a luz. Podem assustar-se mais facilmente e/ou evitar contato olho a olho.

Defensividade Auditiva
Reflete uma hiper sensibilidade a certos sons e pode envolver respostas irritadas ou de medo a certos sons tal como aspirador de pó, motores, alarme de incêndio, etc. Crianças às vezes fazem uma quantidade exagerada de sons para bloquear outros sons.

Outros
Outros sintomas podem incluir sensibilidade pouco comum a gostos e/ou cheiros.

Abordagens de Tratamento
Tratamento de defensividade sensorial cai em três categorias: 1) conscientização;
2) Programa de atividades planejadas e programadas , chamado de dieta sensorial;
3) Tratamento guiado por profissional. Cada uma dessas abordagesn deve sser incluida em qualquer programa de tratamento.


Tratamento guiado profissionalmente envovle complexa seleção de intervenções. Sintomas específicos precisam ser identificados, outros tipos de atraso ou disfunção avaliados com escalas padronizadas e de observação, as diferenças individuais da criança e família consideradas e o modo de colaboração com outros profissionais da saúde iniciados.
Quando a defensividade sensorial esteve presente por meses ou anos, outros problemas podem ter se desenvolvido. Já descrevemos os problemas emocionais e sociais. Há também problemas com músculos que são rígidos ou frouxos demais. Neste caso, outras abordagens terapêuticas são selecionadas pela terapeuta.



(Patricia Wilbarger, Med,OTR, FAOTA e Julia Leigh Wilbarger, MS,OTR)

Por que a Terapia Ocupacional é importante para o Autismo ?

Estima-se que 60 a 70% das crianças com TEA (Transtorno do Espectro Autista) apresente um distúrbio sensorial (Adamson, 2006). Estudos têm ...